sábado, 10 de novembro de 2012

Piratas serão ameaçados a partir do ar

Por Anna Khrustaleva

Navios da Frota do Pacífico (FP) russa estão a caminho da costa da Somália. Na sexta-feira, o destacamento zarpou do porto de Vladivostok rumo ao Golfo de Áden.

Foto: RIA Novosti

A marinha irá participar na missão internacional de combate à pirataria. Entretanto, parece que o formato dessa missão se está alargando: aviões da força aérea russa deverão pela primeira vez se juntar aos vasos de guerra. Eles irão ficar estacionados na base aérea francesa de Djibuti.

A rota do navio anti-submarino grande Marshal Shaposhnikov, do petroleiro Irkut e do rebocador de alto mar Alatau se estende, desde o Corno de Ouro (Zolotoi Rog) até ao Corno de África, por mais de 10 mil quilómetros. Segundo o porta-voz da Frota do Pacífico, Roman Martov, os marinheiros irão participar, junto à costa da Somália, na missão internacional de combate à pirataria:
“A tripulação do navio está preparada para cumprir os objetivos da missão. Os sistemas do navio e o seu armamento se encontram a funcionar em regime de missão. A bordo se encontra uma equipa aérea com 2 helicópteros К-27 e destacamentos de fuzileiros navais da FP que receberam treino específico que teve em conta a experiência russa e internacional de combate à pirataria.”

Antes disso, porém, a esquadra da Frota do Pacífico russa irá visitar a Índia para manobras navais conjuntas planejadas para Mumbai. Os marinheiros irão igualmente visitar a Tailândia, a Coreia do Sul, as Seychelles e, por fim, o porto africano de Djibuti. Desta vez é principalmente este lugar que prende as atenções. É aqui que se encontra a base militar da Legião Estrangeira Francesa. Há poucos dias se tornou conhecido que nesta base irão ficar estacionados aviões de reconhecimento russos. Essa proposta foi apresentada no encontro de ministros do Exterior e da Defesa da Rússia e da França pelo ministro da Defesa russo Anatoli Serdiukov.

A ideia já foi apoiada por Paris. Está previsto que os aviões de reconhecimento irão monitorizar a deslocação dos piratas a partir do ar e transmitir essa informação em tempo útil aos navios. Esta cooperação, especialmente se se considerar que é a primeira vez que aviões russos poderão estacionar numa base de um país membro da OTAN, pode ser considerada sensacional, destacou o comentador militar Viktor Baranets:
“Quanto à cooperação no combate aéreo à pirataria, se trata realmente do primeiro caso semelhante. A ideia de criar um centro internacional de combate à pirataria já foi avançada pela Rússia há vários anos, mas não teve o apoio da OTAN.”

Esta operação será já a 8ª na lista dos navios da Frota do Pacífico. A marinha russa têm escoltado navios pelo corredor de segurança russo desde outubro de 2008. Durante este período, os militares escoltaram com sucesso mais de setecentos comboios de navios mercantes.

Fonte: http://portuguese.ruvr.ru/2012_11_03/93354633/ (03/11/2012)

Navio utilizado em 'Piratas do Caribe' afunda na Carolina do Norte

Com informações de agências . portal@d24am.com

Réplica do navio foi construída em 1962 para o filme ‘O Grande Motim’ e depois foi usada em 'Piratas do Caribe'

Dezesseis tripulantes de uma réplica de um navio HMS Bounty que estava na trajetória do furacão Sandy, na costa da Carolina do Norte, abandonaram o barco com medo de algo mais grave. Destes, 14 foram resgatados nesta segunda-feira.

Segundo a rede CNN, a embarcação afundou. Helicópteros foram usados para retirar os tripulantes dos botes salva-vidas.

O primeiro dos dois helicópteros MH-60 Jayhawk chegou ao local por volta das 6h30 (8h30 no horário de Brasília) e içou cinco pessoas a salvo. Um segundo helicóptero chegou depois e resgatou nove pessoas, informou a Guarda Costeira.

A réplica do navio foi construída em 1962 para o filme ‘O Grande Motim’ e ficou sem força enquanto estava no mar na noite de domingo. O Bounty original, um navio britânico, ganhou fama por um motim no Taiti em 1789. O filme de 1962 tinha Marlon Brando como o chefe da rebelião Fletcher Christian. A réplica do Bounty já apareceu em vários documentários e filmes, incluindo "Piratas do Caribe", com Johnny Depp, de acordo com site da embarcação.

Fonte: http://www.d24am.com/noticias/mundo/navio-utilizado-em-piratas-do-caribe-afunda-na-carolina-do-norte/72360 (29/10/2012)

Mar: Santa Sé preocupada com atos de pirataria

Vaticano vai acolher congresso mundial entre 19 e 23 de novembro.

Cidade do Vaticano, 08 nov 2012 (Ecclesia) – O Vaticano manifestou hoje a sua preocupação com os ataques de piratas marítimos, um tema que vai estar presente nos trabalhos do 23.º Congresso do Apostolado do Mar, entre os dias 19 e 23 deste mês.

“Trata-se de um crime difícil de enfrentar, que suscita grande preocupação, sobretudo pelo aumento da violência na gestão dos reféns, o aumento do tempo de detenção e a capacidade de resistência dos sequestradores”, disse o padre Gabriele Ferdinando Bentoglio, subsecretário do Conselho Pontifício da Pastoral dos Migrantes e Itinerantes (CPPMI), durante a conferência de imprensa da apresentação do evento
Estas situações vão estar, assim, no centro do programa do quarto dia de encontro, a realizar na Cidade do Vaticano, subordinado ao tema ‘A nova evangelização no mundo marítimo’.

O observatório Gabinete Marítimo Internacional registava, em outubro, 233 ataques de piratas em todo o mundo entre janeiro e setembro deste ano, contra 352 reportados no mesmo período de 2011.

O cardeal Antonio Maria Vegliò, presidente do CPPMI, destacou aos jornalistas que estes incidentes deixam “traumas psicológicos a longo prazo, não só aos marinheiros mas também às suas famílias”.

Este responsável precisou que o Vaticano promove o congresso mundial para procurar “respostas pastorais adequadas aos problemas das gentes do mar”.

O Apostolado do Mar vai pedir, durante os trabalhos, a ratificação da Convenção sobre o trabalho no setor das pescas, que abrange pelo menos 38 milhões de pessoas.

Estão inscritos até ao momento 410 participantes de 71 países, entre os quais Portugal, que vai ser representado por D. António Vitalino, vogal da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, e pelo diretor nacional do Apostolado do mar, padre Sílvio Couto.

OC

Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?&id=93182 (08/11/2012)