domingo, 24 de fevereiro de 2013

Pirataria marítima mundial caiu para seu nível mais baixo em 2012

Segundo organização, patrulhamento por Marinhas internacionais nas águas africanas reduziu pirataria somali; em 2012, foram 297 ataques, enquanto em 2011 houve 439

Foto: AP

A pirataria marítima mundial caiu para seu nível mais baixo em cinco anos em 2012, graças a uma enorme redução na pirataria somali, de acordo com a Agência Internacional Marítima.
Segundo a organização, 297 ataques foram registrados no ano passado ao redor do mundo, bem abaixo dos 439 de 2011. Um total de 28 navios foram sequestrados, com 585 tripulantes feitos reféns e seis mortos durante 2012, de acordo com dados compilados pela agência com sede em Londres.
A instituição disse que apenas 75 ataques foram registrados na costa da Somália e no Golfo de Áden contra 237 em 2011. Piratas somalis sequestraram 14 navios, metade do total de 2011.
A agência elogiou Marinhas internacionais que patrulham as águas africanas, dizendo que seus ataques preventivos e de ação robusta contra navios-mãe ajudaram a deter a pirataria. Disse também que as medidas de segurança adotadas por navios, tais como a contratação de guardas armados, também ajudaram a afastar os piratas.
"A presença contínua das Marinhas é vital para garantir que a pirataria somali continue em baixa. Esse progresso pode ser facilmente revertido se os navios de guerra forem retirados da região", disse o capitão Pottengal Mukundan.
A agência afirmou que os navios piratas foram vistos no Golfo de Omã, no sul do Mar Vermelho e na baía da Somália. Desde o final do ano passado, piratas somalis fizeram 104 reféns em oito navios - outros 23 foram detidos em terra.
O relatório disse que as águas ao leste e oeste da África continuavam perigosas. A pirataria cresceu no Golfo da Guiné, com 58 ocorrências registradas no ano passado, incluindo dez sequestros e 207 tripulantes feitos reféns. Segundo o documento, os piratas da região eram particularmente violentos, com pelo menos 37 ataques com uso de armas.
A Nigéria apresentou 27 incidentes no ano passado, contra 10 em 2011. Togo registrou um aumento de cinco relatos em 2011 para 15 em 2012, incluindo quatro sequestros. A Costa do Marfim teve apenas um incidente em 2011, mas cinco em 2012, incluindo o primeiro sequestro de um petroleiro ao largo de suas costas.
Quatro navios foram sequestrados no sudeste da Ásia, incluindo um navio-tanque malaio que foi recapturado no Vietnã no último trimestre de 2012. Ao redor do arquipélago da Indonésia, a agência disse que houve 81 relatos de pequenos furtos, que representam mais de um quarto dos incidentes globais de 2012.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário