segunda-feira, 16 de julho de 2012

Fragata Corte-Real regressa no sábado após missão na Somália

Foto: A fragata Corte-Real, ancorada em Matosinhos, em 2006 (Adriano Miranda)

A fragata Corte-Real regressa no sábado à Base Naval de Lisboa, após três meses em missão na Somália, onde foram eliminadas bases logísticas em terra de apoio a grupos de piratas, anunciou a Marinha, em comunicado.

O navio integrou, entre 26 de Março e 21 de Maio, a Força Naval da União Europeia, na Operação Atalanta.

Durante a missão, “foram realizadas pela primeira vez acções de disrupção de campos pirata em terra, na costa da Somália, permitindo eliminar as bases logísticas de apoio aos grupos de piratas”.

A fragata efectuou escoltas a embarcações que transportaram ajuda alimentar à Somália, vigilância e patrulha no Corredor de Trânsito Internacional Recomendado, no Golfo de Áden, estreito de Bab Al Mandeb e Mar Vermelho, bem como abordagens e vistorias a vários navios suspeitos, com o intuito de identificar eventuais indícios da prática de pirataria.

O navio português realizou ainda missões de reconhecimento e recolha ao longo da costa da Somália, nos campos de apoio logístico de piratas, nomeadamente através de um helicóptero embarcado, assim como acções de cooperação técnico-militar com a Guarda Costeira das ilhas Seychelles, “como contributo ao processo de envolvimento no combate à pirataria dos países localizados na área de operações”.

A bordo da fragata seguiram, além de 196 tripulantes, cinco oficiais da Marinha moçambicana, “que puderam observar os procedimentos e tácticas de combate à pirataria na área de operações, contribuindo assim para o reforço dos laços de cooperação entre Portugal e Moçambique, designadamente no empenho em envolver as nações próximas da área de operações”.

Na Base Naval de Lisboa, a Corte-Real irá receber a bordo o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, que será acompanhado pelo Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, Luís Esteves de Araújo, e pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, José Saldanha Lopes.

A União Europeia conduz, sob a égide das Nações Unidas e seguindo a orientação da Política de Segurança e Defesa Comum, uma operação militar, a Operação Atalanta, visando “assegurar a protecção aos navios que transportam ajuda alimentar ao povo somali, no âmbito do Programa Alimentar Mundial, e apoio logístico à missão da União Africana”.

A Armada refere ainda que a operação tem também como meta “contribuir para o esforço militar na prevenção e repressão de actos de pirataria e de assalto à mão armada no mar”.

Fonte: http://www.publico.pt/Sociedade/fragata-cortereal-regressa-no-sabado-apos-missao-na-somalia---1549286 (06/06/2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário