quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Quênia cancela acordos para julgar piratas somalis.

O Governo do Quênia deu por concluídos os acordos de cooperação que mantinha com diversos países para processar e prender piratas somalis em seu território, em troca de diversas ajudas.

A nota informando a decisão foi divulgada nesta sexta-feira, mas com a data de ontem, pelo Ministério de Assuntos Exteriores do Quênia.

Os piratas em questão foram detidos pela frota de guerra internacional que patrulha as águas próximas à Somália.

No ano passado, Estados Unidos, Reino Unido, União Europeia, Dinamarca, Canadá e China assinaram um acordo com o Quênia para que o país recebesse e processasse os piratas somalis capturados na região.

Segundo diversas fontes, as nações pretendiam prolongar o pacto, o que ficou claro com a declaração à imprensa do embaixador do Canadá no país africano, David Collins, que disse na quarta-feira que "trabalhamos com o Governo do Quênia para renovar os acordos".

No entanto, o presidente do Comitê de Defesa e Relações Internacionais do Parlamento queniano, Adan Keynan, assinalou que "deter, julgar e prender piratas representa um risco para a segurança do Quênia", em declarações publicadas hoje pelo diário queniano "Daily Nation".

O Comitê apresentou em junho um relatório que questionava a conveniência desses acordos internacionais por motivos de segurança e pelo atraso que causaria em outros casos que deviam ser julgados pelos tribunais de Mombaça, a segunda maior cidade queniana.

Segundo o periódico, a classe política do país respalda a decisão de não continuar com o acordo, argumentando que não obtiveram nem a ajuda nem os fundos prometidos pelos países ocidentais para fazer frente à pirataria.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/noticias/0,,OI4711170-EI188,00-Quenia+cancela+acordos+para+julgar+piratas+somalis.html (01/10/2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário