sábado, 1 de outubro de 2011

A Fragata NRP D. Franciso de Almeida presta apoio a navio que foi alvo de sequestro por piratas

Na manhã de 30 de Setembro de 2011, a Fragata N.R.P. D. Francisco de Almeida em patrulha a poucas milhas da costa Nordeste da Somália, junto ao corno de África, foi solicitada para prestar apoio ao navio mercante Dover, que tinha estado em poder de piratas desde Fevereiro deste ano.

Dover, de bandeira do Panamá, com a tripulação constituída por 24 pessoas, foi agora libertado, sete meses depois, após pagamento de um resgate.

O Comandante deste navio mercante em contacto com o N.R.P. D. Francisco de Almeida solicitou apoio alimentar e médico para o pessoal da sua tripulação, para garantir o seu trânsito desde a costa da Somália até ao porto de Salalah, no Sultanato de Oman.

Prontamente, a bordo do N.R.P. D. Francisco de Almeida foi elaborado o plano de apoio, que consistiu no fornecimento de alimentos e água para mais de 3 dias, através do Helicóptero orgânico, e o envio de uma equipa de socorristas através das embarcações semi-rígidas do navio para efectuar a verificação do estado de saúde das pessoas a bordo.

Prestado o apoio necessário e garantidas todas as condições de segurança para a navegação, o Comandante do navio mercante Dover endereçou os seus sinceros agradecimentos à Fragata Portuguesa e prosseguiu viagem até ao porto seguro de Salalah, prevendo-se um trajecto de dois a três dias.

A Fragata NRP D. Francisco de Almeida é comandada pelo Capitão-de-Mar-e-Guerra Salvado de Figueiredo e possui uma guarnição de 185 militares, incluindo duas equipas do pelotão de abordagem do Corpo de Fuzileiros, e o destacamento do Helicóptero Lynx (Fenix) que embarcou para esta missão.

Integrada na Força Naval Permanente da NATO (SNMG1[1]), encontra-se desde 01 de Setembro, a patrulhar o mar junto á costa da Somália, na chamada Operação Ocean Shield. Esta Força Naval é comandada pelo Contra-almirante Gualtiero Mattesi, embarcado no navio italiano ITS Andrea Doria, e tem como principal objectivo proteger o tráfego marítimo que atravessa a costa da Somália, detendo e prevenindo actos de pirataria ou assaltos a navios naquela costa, incluindo, designadamente, o envolvimento de meios navais e de aeronaves de patrulhamento marítimo, garantindo a cooperação às Marinhas e Guardas Costeiras dos Estados Regionais.

[1] Standing NATO Maritime Group One
Fonte - EMGFA

Fonte: http://www.rostos.pt/inicio2.asp?cronica=95904&mostra=2&seccao=moldura&titulo=A-Fragata-NRP-D.-Franciso-de-Almeida-pre (30/09/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário