quarta-feira, 23 de março de 2011

O CORSÁRIO SEM PÁTRIA












O CORSÁRIO SEM PÁTRIA
The Buccanner”, 1958 (aka...”Lafitte, o Corsário”)

Direção: Anthony Quinn
Com: Yul Brynner, Claire Bloom, Charlton Heston, Charles Boyer, Inger Stevens.

No Brasil lançado pelaNew Line Home Video.

Um dos melhores filmes do gênero! Esqueçam o romance, o patriotismo americano e as bobagens cinematográficas da época. Vário elementos importantes estão presentes nesse grande filme: O confronto entre ingleses e americanos, o reino da Baratavia, batalhas, saques, o comércio ilegal, o jogo político entre Lafitte e as autoridades americanas...

Lafitte foi um pirata...corsário...pirata novamente...corsário... mas acima de tudo, um contrabandista muito esperto. Ele mandava em New Orleans. Ele era a lei, e manteve-se assim por muitos e muitos anos. No filme, inventaram uma desculpa surrealista – um romance com a filha do Governador – para justificar sua decisão em apoiar os americanos...Besteira! Na vida real, lutou ao lado dos americanos para não perder o controle da região e de seu contrabando local. Pô! O cara era um pirata, não um almofadinha apaixonado!

Mas o filme, além de tudo, apresenta mais uma ótima atuação de Yul Brynner, e do sempre picareta Charton Heston. O resto do elenco dá conta do recado. Destaque para a bela fotografia e vestimentas bem cuidadas, muitas delas inspiradas das ilustrações de Howard Pyle.

Curioso notar que anos mais tarde, Yul Brynner faria o papel de outro pirata, excêntrico e violento, em “O Farol do Fim do Mundo” (1971).


Segue resenha do filme, existente no DVD:
“1812, durante a luta contra a invasão inglesa, o General americano Andrew Jackson conta com um punhado de caçadores e homens destreinados para defender a cidade de New Orleans, quando é informado que a frota britânica está chegando, com 60 navios e milhares de homens para tomarem a cidade. Diante disso, uma ilha perto da cidade se torna estrategicamente importante para os dois exércitos, porém ela é habitada por Jean Lafitte, o mais impiedoso e temido corsário dos mares. Embora nunca tenha atacado um navio americano, o governador da cidade o detesta, pois Lafitte vende suas mercadorias sem pagar impostos e por isso, é adorado pelos cidadãos. Mas quando o grande combate se aproxima, Lafitte se vê preso entre os dois exércitos. Seu coração pertence aos Estados Unidos, mas seus homens querem lutar ao lado dos ingleses. Uma aventura emocionante, com muita ação no melhor estilo do gênero.”


2 comentários:

  1. Hum...deu vontade de assistir!

    E já deu para notar que YulBrynner é o cara.


    abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá Raquel dos Cabelos Cor de Mel,
    Pode crer...Brynner é o cara! Me diverti muito com esse filme. Mas se você quiser deixar a coisa muito mais interessante, assista "O Corsário sem Pátria" e em seguida "O Farol do Fim do Mundo". Filmes completamente opostos sobre a visão dos piratas. Um romanceado...o outro seco e cruél. E você verá também dois Yul Brynner's completamente diferentes em suas atuações.

    ResponderExcluir