quarta-feira, 25 de maio de 2011

Naufrágio nos EUA pode esconder tesouro

ESPECIAL WHYDAH

Peça encontrada é do navio Whydah, que afundou durante uma tempestade em 1717.Os exploradores acreditam que há 5 toneladas de ouro e de prata escondidas.

Do 'New York Times'.

Foto: O explorador Barry Clifford (no centro da foto), com material retirado de um navio pirata naufragado (Foto: Jodi Hilton/NYT)

Coberto por crustáceos e por muita ferrugem, um bloco de metal fundido do tamanho de um pequeno carro foi içado na semana passada no píer MacMillan, no leste dos Estados Unidos. O cheiro de maresia foi sentido pelas duas dúzias de pessoas que se reuniram para ver a peça de 5.500 quilos ser retirada do mar. Em determinado momento, um caranguejo saiu correndo de baixo do objeto, que ficou submerso por 290 anos.

Apesar de não ter a aparência de um tesouro comum, para o explorador submarino Barry Clifford, que passou cerca de 25 anos resgatando restos do navio pirata Whydah, conhecido como Black Sam, a descoberta é, sim, uma preciosidade. Além de ajudar nas pesquisas históricas sobre a vida dos piratas, ela pode ser o melhor indício da localização das mais de cinco toneladas de ouro e prata que o navio supostamente carregava.

Clifford achou um pedaço do casco da embarcação em 1998 e tinha certeza de que estava perto da mina de ouro. Nove anos se passaram e ela não foi encontrada.
Mas, após esta descoberta, o explorador disse crer que a pilhagem está por perto, bem abaixo do banco de areia. Como os tesouros e canhões eram extremamente pesados, eles provavelmente estão próximos entre si. "Não há outro lugar para eles terem ido a não ser para baixo", disse ele.

Acredita-se que o objeto contenha pelo menos sete canhões de ferro. O conteúdo exato será determinado por meio de raios-X nas próximas semanas, mas a expectativa de Clifford é de que ele contenha moedas, armas e talvez ossadas, como ocorreu em outros navios.

Vida de pirata
Charles R. Ewen, professor de arqueologia da East Carolina University e co-editor de "X Marks the Spot: The Archaeology of Piracy", disse que qualquer novidade relacionada ao Whydah é significativa, já que ele foi o único navio pirata "encontrado inequivocadamente" e oferece pistas sobre a vida de seus tripulantes.

"Ele afundou com tudo dentro", disse Ewen. "Por isso o material encontrado é muito bom comparado ao de outros navios. É muito importante para a história e para a compreensão do que era de fato ser um pirata, ao contrário do que mostra Johnny Depp", afirma ele, numa referência ao ator americano que protagonizou a série de filmes "Piratas do Caribe".

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL84890-5602,00.html (08/08/2007)

Nenhum comentário:

Postar um comentário