quarta-feira, 25 de maio de 2011

O WHYDAH: DE NAVIO NEGREIRO A NAVIO PIRATA

ESPECIAL WHYDAH

O Whydah foi construído em Londres em 1715 para ser um navio negreiro. Foi especialmente projetado para transportar seres humanos que seriam capturados na África e vendidos para trabalhar como escravos nas colônias do "Novo Mundo".

Durante os primeiros 25 anos do século 18, os comerciantes europeus de escravos negociaram mais de 6 milhões de africanos usando navios como o Whydah no Atlântico. O Whydah recebeu este nome em referência à cidade de Ouidah - um porto tristemente célebre pela escravidão na costa oeste da África.

O comerciante de escravos e capitão do Whydah, Lawrence Prince, estava em meio a um percurso de 8 mil quilômetros de viagem, com aproximadamente 500 escravos que levava da África para as colônias do Caribe e da América, quando foi capturado pelo pirata Black Sam Bellamy e sua tripulação.

No seu apogeu, o Whydah chegou a ser um dos mais navios mais bem cotados entre os que circulavam pelo Caribe. Era uma galera de três mastros que pesava 300 toneladas, equipado com 28 canhões poderosos e capaz de atingir até 13 nós de velocidade.

Em abril de 1717, o Whydah - um navio pirata de 28 canhões - lutou contra uma tempestade com ventos fortes e ondas de 10 metros de altura antes de bater em um banco de areia de frente para a costa nordeste dos Estados Unidos, o que causou seu naufrágio. Morreram mais de 140 piratas. Foram espalhadas pelo mar mercadorias de um valor incalculável, armas e milhões em moedas da época.

Em março de 1717, Black Sam Bellamy percebeu que cruzaria com o poderoso Whydah na terceira parte do triângulo da sua viagem de volta para a Europa. Decidiu então caçar a embarcação e capturá-la, com toda a sua carga.

O assalto ao Whydah foi um plano muito bem ensaiado e executado com precisão militar. A perseguição durou três dias, durante os quais Black Sam Bellamy e sua gangue de marinheiros observaram o Whydah para contar a tripulação e saber quantos membros estavam armados.

Lawrence Prince, capitão do Whydah, deu apenas um tiro em sinal de retaliação antes de se render.

O ataque e a captura do Whydah foram um das maiores assaltos da história. Especialistas estimam que o tesouro a bordo do navio era de cerca de 4,5 toneladas em ouro e prata. Cada pirata do Whydah teria recebido em torno de 6 quilos.

SOBRE SAM BLACK BELLAMY

Black Sam Bellamy foi um dos mais famosos e bem-sucedidos capitães durante a era de ouro da pirataria. Ele ganhou o título de Príncipe dos Piratas devido ao tratamento generoso que dava aos prisioneiros.

Black Sam Bellamy se apaixonou por Maria Hallet quando tinha pouco mais de 20 anos. Os pais dela, rigorosos e religiosos, não aprovaram o pretendente de condição social humilde. Em julho de 1715, uma frota de galeões espanhóis naufragou na costa da Flórida e Black Sam Bellamy decidiu ir em busca da carga para conseguir os recursos financeiros necessários para pedir a mão de Maria Hallet em casamento. Mas não encontrou nenhum tesouro. Para não voltar de mãos vazias, Black Sam Bellamy entrou para o mundo da pirataria.

Black Sam Bellamy era muito mencionado porque não usava a tradicional peruca branca da época. Ele amarrava para trás seu cabelo preto e comprido.

Black Sam Bellamy fez parte da tripulação do navio de Benjamin Hornigold - um velho bucaneiro que se negou a atacar embarcações do seu país natal, a Grã-Bretanha - e rapidamente subiu na hierarquia até ocupar o lugar de Hornigold dando um golpe pacífico.

Em menos de um ano, Black Sam Bellamy liderou a captura de mais de 50 navios, um desempenho notável para a época.

Fonte: http://www.natgeo.com.br/especiais/o-cacador-de-piratas/whydah-e-bellamy.asp

Sobre Barry Clifford

Barry Clifford nasceu em 1945 em Cape Cod, onde passou a infância. Formou-se no Western State College, do Colorado, em 1969, em História e Sociologia. Foi professor e treinador de futebol antes de abrir sua empresa de mergulho e caça a tesouros na metade da década de 70. Clifford participou de construções subaquáticas, controle de exploração de petróleo, contratos de resgate e recuperação de navios.

Em 1984, Clifford ganhou reputação internacional quando ele e sua equipe encontraram o primeiro navio pirata naufragado que pôde ser comprovado: o Whydah, na costa de Cape Cod. Desde então, ele tem levado muitos mergulhadores a rastrear o mundo aquático, e é respeitado como um dos maiores especialistas em arqueologia subaquática.

Barry diz que sua busca pelo Whydah levou 15 anos, contando desde suas primeiras lembranças de histórias inspiradoras contada por um tio sobre "navios piratas afundados aqui pertinho" até o momento em que ele resgatou o sino do navio. Essa peça é a prova da identidade desse tesouro incalculável.

Barry escreveu vários livros sobre suas "aventuras", entre eles "The Pirate Prince: Discovering the Priceless Treasures of the Sunken Ship Whydah" ("O príncipe pirata: descobrindo o incalculável tesouro do navio afundado Whydah") e "Expedition Whydah: The Story of the World's First Excavation of a Pirate Treasure Ship and the Man Who Found Her" ("Expedição Whydah: a história da primeira escavação de um navio pirata valioso e do homem que o encontrou"), documentando suas experiências com o Whydah.

PINGUE-PONGUE COM BARRY CLIFFORD
- Você ficou mais de duas décadas escavando o Whydah na costa nordeste dos EUA. Quais foram os objetos mais interessantes ou surpreendentes encontrados?

- Símbolos secretos gravados em pratos de estanho, como o símbolo Free Mason (o símbolo mais antigo já descoberto).

- Uma ampulheta gravada em uma colher de estanho. A caveira e os ossos com a ampulheta eram os símbolos usados na bandeira de um dos piratas mais famosos da história.

- A inscrição " te ye ba" em um anel de ouro.

- Escritos e desenhos: a frase "Death if I loose thee" ("eu morro se perder você"); duas tartarugas das Ilhas Virgens Britânicas, uma macho e outra fêmea, suspensas sobre um volume de água com um ramo de oliva entre elas. Acredita-se que são símbolos de "amor perdido".

- Nossa coleção de mais de 400 peças de ouro de Akan. A mais antiga coleção desse tipo que já foi possível datar.

- O sino do navio com a inscrição "The Whydah Galley 1716". Esta foi a "prova definitiva" de que encontramos o Whydah.

- O que acontece com um objeto depois que ele é encontrado e devidamente restaurado?

- Nós o guardamos para exposições.

- Depois de filmar "O Caçador de Piratas", você descobriu alguma nova pista que leve ao tesouro de Black Sam Bellamy?

- Sim. Nós localizamos materiais que somam cerca de 12 toneladas exatamente onde nós começamos há 25 anos, mas cerca de 300 metros abaixo da areia. Descobrimos o que acreditamos que pode ser uma parte central do navio onde se escondia o tesouro.

- O que acontecerá com o tesouro de Black Sam quando você o encontrar?

- A coleção será toda reunida e preparada para ficar em exposição contínua para o público.

- Quais foram os principais desafios durante a escavação do Whydah?

- O clima, ventos do leste, a profundidade da areia e o financiamento deste trabalho.

- Existe algum outro navio pirata que você espera encontrar e escavar além do Whydah?

- Nós acreditamos ter encontrado o Adventure Galley off Madagascar do Capitão Kidd, e estamos planejando voltar lá. E também queremos continuar trabalhando na esquadra do Capitão Morgan, perdida no Haiti.

Fonte: http://www.natgeo.com.br/especiais/o-cacador-de-piratas/barry-clifford.asp

VIDEOS

The Whydah
pirate ship treasure found recently



Pirate Treasure Hunters


Pirate Ship Wreck Uncovered


Cannons from Whydah unearthed!


Pirates – Whydah


Pirate Ship Discovery


KSDK Real Pirates TV Special Part 1 of 3


KSDK Real Pirates TV Special Part 2 of 3


KSDK Real Pirates TV Special Part 3 of 3

Nenhum comentário:

Postar um comentário