quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Imigração clandestina e combate à pirataria na costa oriental africana

Piratas somalis presos, em Fevereiro 2009, no Golfo de Aden.

AFP /Navy Visual News Service/Jason R. Zalasky

Naufrágio no norte de Moçambique causa a morte de 50 cidadãos somalis e do capitão do barco proveniente da Somália, com 129 passageiros ilegais a bordo, 89 oriundos da Somália e 40 da Etiópia.

O Canal de Moçambique patrulhado pela marinha deguerra sul-africana, para combater a pirataria somali.


O Comando Geral da Policia de Moçambique anunciou nesta terça-feira (15/02/2011) a morte de 50 cidadãos somalis, candidatos à imigração clandestina e do capitão da embarcação que naufragou na madrugada do passado dia 5 de Fevereiro, ao largo da ilha de Suhavo, distrito de Palma, província de Cabo Delgado, norte de Moçambique.

A embarcação de bandaeira tanzaniana e proveniente da Somália, transportava 129 passageiros ilegais, dos quais 89 somalis e 40 etíopes e os sobreviventes foram conduzidos para o Centro de Refugiados de Maratane, na província de Nampula.

Em Moçambique, o número de candidatos à imigração clandestina, oriundos sobretudo da Somália, Etiópia, mas também do continente asiático, tem aumentado substancialmente nos últimos tempos e estes contam com a colaboração de cidadãos moçambicanos e estrangeiros.

No inicio desta semana, foram interceptados nesta mesma região nortenha de Moçambique 103 cidadãos somalis, cuja embarcação foi retida, mas a sua identificação não foi até à data apurada.

Ainda da ilha de Suhavo, foram repatriados na passada sexta-feira (11/02/2011) 123 cidadãos ilegais somalis, que haviam sido transportados num barco moçambicano, com tripulação igualmente moçambicana, proveniente da Tanzânia.

No inicio de Fevereiro foram interceptados em Boane, na província de Maputo, sul de Moçambique, mais de 400 estrangeiros ilegais que haviam sido deportados da África do Sul, na sua maioria de origem asiática.

Entretanto a marinha de guerra da África do Sul está a patrulhar o Canal de Moçambique, entre Madagáscar e a costa oriental africana, ao abrigo de uma acordo concluído entre os dois países, para combater os piratas somalis, que têm lançado vários ataques ao longo da costa leste africana.

Fonte: http://www.portugues.rfi.fr/africa/20110216-imigracao-clandestina-e-combate-pirataria-na-costa-oriental-africana (16/02/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário