quinta-feira, 27 de maio de 2010

Fim da pirataria passa pelo combate à pobreza na Somália, diz Moratinos

De Agencia EFE

Istambul
A solução para o problema da pirataria no oceano Índico e no golfo de Áden não pode ser só militar, tem de ser político para dar estabilidade e acabar com a pobreza na Somália, disse neste sábado em Istambul o ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos.

Em declarações à Agência Efe, o chanceler anunciou que, com esse objetivo, a Espanha pretende receber em setembro uma reunião do Grupo Internacional de Contato sobre a Somália, no qual participam, entre outros, Estados Unidos, França, Itália e os países vizinhos da Somália.

Moratinos explicou que a iniciativa espanhola recebeu sinal verde dos 55 países que participam da conferência internacional sobre a Somália que, organizada pela ONU e Turquia, ocorre até amanhã em Istambul.

Para o ministro espanhol é necessário realizar "um esforço similar ao feito com a operação Atalanta (de luta contra a pirataria)" no interior da Somália para estabilizar o país africano.

"Há piratas porque há pobreza e subdesenvolvimento", acrescentou.
Moratinos garantiu "todo apoio" da Espanha ao Governo de transição na Somália e a seu presidente interino Sharif Sheik Ahmed, "que tem a difícil tarefa de estabilizar o país".

Durante uma reunião com o ministro, Ahmed pediu à Espanha ajuda para reconstruir o setor pesqueiro da Somália, cuja deterioração é apontada pela ONU como uma das principais causas do auge da pirataria.

Fonte: www.google.com/hostednews/ (22/05/2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário